Você está aqui: Página Inicial » Gramática » Sintaxe » Análise Sintática e Análise Morfológica

Sintaxe

Texto:
por: Vânia Maria do Nascimento Duarte

Análise Sintática e Análise Morfológica








Em se tratando de ambos os temas, indiscutivelmente revelam sua extrema importância. Estando, portanto, aptos a integrarem os nossos conhecimentos, uma vez que se relacionam a duas partes relevantes da gramática – à morfologia e à sintaxe.

A análise sintática caracteriza-se como uma particularidade inerente aos postulados gramaticais cuja finalidade se atém ao estudo das palavras de acordo com a função que elas desempenham em meio a um determinado contexto linguístico. E para que possamos identificar tal função, torna-se necessário conhecermos acerca de todos os elementos sintáticos, representados por: sujeito, predicado, complemento nominal e verbal, adjunto adnominal, vocativo, aposto, agente da passiva, entre outros.

Com vistas a colocarmos em prática a presente assertiva, analisemos o exemplo em evidência:

Acreditamos sempre em dias melhores.
Analisando-a de acordo com a função sintática, temos:

sujeito oculto (nós) – revelado pela desinência de número retratada pelo verbo revelar: - mos.

predicado verbal (revelado por meio de uma ação expressa pelo sujeito) – acreditamos sempre em dias melhores.

adjunto adverbial de tempo - sempre

objeto direto – em dias melhores (complemento do verbo acreditar)

predicativo do objeto – melhores (confere uma característica ao objeto direto)

Já a análise morfológica relaciona-se ao estudo das palavras de acordo com a classe gramatical a que elas pertencem. E por assim dizer, a ênfase agora se volta para os substantivos, adjetivos, advérbios, pronomes, preposições, numerais, conjunções, interjeições, advérbios e verbos.

Vejamos um exemplo no qual constataremos todos estes pressupostos:

Alguns candidatos desistiram de fazer as provas.

alguns – pronome indefinido

candidatos – substantivo comum

desistiram – verbo desistir, conjugado na terceira pessoa do plural do pretérito perfeito (modo indicativo).

de – preposição

fazer – verbo fazer, conjugado no infinitivo (pertencente à segunda conjugação – ER).

as – artigo definido

provas – substantivo comum.