Você está aqui: Página Inicial » Gramática » Morfologia » O grau dos adjetivos

Morfologia

Texto:
por: Vânia Maria do Nascimento Duarte

O grau dos adjetivos








Ao nos referirmos acerca desta classe gramatical, identificamos uma característica peculiar: o fato de ela ser passível de flexão. Contudo, quando se refere ao grau, se apresenta diferentemente dos substantivos, ou seja, não se trata apenas de acrescentar um sufixo para demarcá-lo, há alguns pormenores aos quais devemos estar atentos. Assim sendo, analisaremos os pontos de maior relevância, no intuito de nos inteirarmos efetivamente destes. Eis que são:

A variação de grau, concernente aos adjetivos, torna-se materializada quando se deseja comparar ou intensificar as características a que lhes são atribuídas. Para tanto, este se subdivide em duas modalidades: o grau comparativo e o superlativo.

O grau comparativo estabelece uma comparação entre dois ou mais seres, uma vez apresentado sob a seguinte forma:

* Comparativo de igualdade: Lucas é tão extrovertido quanto seu irmão.
* Comparativo de inferioridade: Lucas é menos extrovertido (do) que seu irmão.
* Comparativo de superioridade: Lucas é mais extrovertido (do) que seu irmão.


Observações passíveis de nota:

* Há formas sintéticas para o grau comparativo de superioridade no que se refere aos adjetivos “bom”, “mau”, “grande” e “pequeno”, as quais são representadas por “melhor”, “pior”, “maior” e “menor”.
Exemplos:

Este procedimento é melhor (do) que o outro.
Meu desempenho foi pior (do) que o seu.
A falta de segurança é maior (do) que a de saneamento básico.

* As formas analíticas representadas por “mais bom”, “mais mau”, “mais grande” e “mais pequeno”, apenas devem ser utilizadas quando se comparam duas características de um mesmo ser.
Exemplos:

Pedro é mais bom (do) que esforçado.
O garoto é mais mau (do) que esperto.
Aquele cão é mais pequeno (do) que bravo.

Já no grau superlativo, a característica que se atribui ao adjetivo é intensificada de forma relativa ou absoluta. Em virtude disso, analisemos:

No que tange ao grau superlativo relativo, a intensificação é feita em relação a todos os demais seres de uma coletividade, sendo este assim subdividido:

* Superlativo relativo de superioridade:

Aquele aluno é o mais participativo de todos.

* Superlativo relativo de inferioridade:

Aquele aluno é o menos participativo de todos.

A intensificação a que se refere o grau superlativo absoluto é demarcada pela ideia de excesso, subdividido em analítico e sintético.

* O superlativo absoluto analítico, geralmente, se constitui de um advérbio.
Exemplos:

Esta garota é muito educada.
Carlos é demasiadamente gentil.

* O superlativo absoluto sintético é expresso por meio de sufixos, os quais, na maioria das vezes, se manifestam por “-íssimo”.

Todos os ambientes são agradabilíssimos.


Interaja-se mais com o assunto em evidência, compartilhando com outro link que o complementa:

O grau superlalivo dos adjetivos -  Apreenda um pouco mais acerca de suas peculiaridades.