Você está aqui: Página Inicial » Gramática » Morfologia » Preposições

Morfologia

Texto:
por: Vânia Maria do Nascimento Duarte

Preposições








Tanto se fala em flexões quando nos referimos às classes gramaticais, não é verdade? Pois bem, há que se mencionar acerca do fato de que algumas não compartilham desta característica, como é o caso das preposições. Tal aspecto as revela na condição de invariáveis, isto é, não se flexionam.

Assim como tantas outras, também exercem uma determinada função estando em meio a um enunciado linguístico, explícita em:

Todos os turistas são de Belo Horizonte.
Hoje não irei com você.
Este livro é do professor Carlos.

Atendo-nos a uma análise destes, constatamos que os termos em evidência tiveram por finalidade fazer a ligação entre algumas palavras para que houvesse clareza mediante o discurso. Eis a função da classe ora em estudo.

Em se tratando da classificação, temos as chamadas preposições essenciais e as acidentais. Essenciais porque funcionam caracterizando-se basicamente como tal, representada por:



E acidentais pelo fato de que em algumas circunstâncias, certas palavras, mesmo oriundas de outras classes, acabam perdendo seu posto original e passam a exercer a função de preposição, assim representadas: como, conforme, segundo, durante, fora, exceto, dentre outras.
Exemplos:

Conforme solicitado, fizemos o trabalho. (conjunção conformativa)
Isso acontecera conforme o previsto. (preposição acidental)

Dentre outros aspectos, menciona-se o fato de que as preposições se unem a outras classes gramaticais por meio de ambas as possibilidades: por combinação e por contração. Na combinação não há alteração fonética, ou seja, os elementos apenas se ligam, dando origem a outro. Exemplificando, temos:

a (preposição) + o (artigo) = ao

a (preposição) + onde (advérbio de lugar) = aonde

Já na contração, esta junção se dá mediante a perda de fonemas, para que assim uma nova palavra seja formada, como podemos constatar em: