Você está aqui: Página Inicial » Gramática » Morfologia » Verbos nocionais e não nocionais

Morfologia

Texto:
por: Vânia Maria do Nascimento Duarte

Verbos nocionais e não nocionais








Torna-se viável retomarmos o conceito de que os fatos linguísticos se encontram inter-relacionados entre si. E, por assim dizer, vale mencionar que o estudo ora em discussão se encontra atrelado aos seguintes elementos:



Neste sentido, sequencialmente, temos que o verbo ou a locução verbal representa o núcleo central do predicado. Dessa forma, é por intermédio do aspecto apresentado por este (o verbo) que se determina a transitividade verbal. Tal aspecto encontra-se relacionado à existência de duas subdivisões: o grupo dos verbos nocionais e o grupo dos não nocionais.

Os verbos nocionais são os que exprimem processos, ou seja, indicam ação, acontecimento, fenômeno natural, desejo e atividade mental. Entre estes podemos citar:

pular
trovejar
relampejar
estudar
pensar
querer
pensar
analisar, entre muitos outros.

Como anteriormente ressaltado, estes verbos representam o núcleo do predicado. Assim como:

Estudamos para as avaliações.

Temos um sujeito desinencial ou oculto, representado pela 1ª pessoa do plural – nós.

Estudamos para as avaliações – predicado, no qual o núcleo é o verbo estudar (estudamos).

Aqueles considerados não nocionais exprimem um caráter de estado, o qual se relaciona ao sujeito. Em virtude deste aspecto são denominados verbos de ligação, uma vez que liga o sujeito a uma dada característica – fato que não mais os faz ocupar a função de núcleo. São exemplos desta modalidade:

ser
estar
continuar
permanecer
ficar
virar
tornar-se
andar, entre outros.

Atendo-nos a alguns exemplos, tais como o verbo andar e virar, são que estes, a princípio, parecem denotar ação. A verdade é que tanto podem pertencer a um grupo quanto ao outro, o que irá distingui-los é o próprio contexto. Portanto, analisemos alguns casos representativos:

A garota anda depressa.

A ação neste contexto parece ditar sua palavra de ordem. Sendo assim, ele classifica-se como nocional.

Márcia anda tristonha.

Aqui, expressa o estado do sujeito (no caso, o de Márcia). Razão pela qual ele se classifica como não nocional.

Mediante tais pressupostos, voltemos ao esquema anterior no sentido de reforçarmos a ideia relacionada à transitividade verbal: os verbos nocionais, desempenhando sempre a função de núcleo de predicado, classificar-se-ão como transitivos diretos e indiretos.

Os não nocionais, por denotarem o estado do sujeito, serão denominados verbos de ligação.