Você está aqui: Página Inicial » Literatura » Gêneros Literários » Gênero dramático

Gêneros Literários

Texto:
por: Vânia Maria do Nascimento Duarte

Gênero dramático









A representação – principal característica deste gênero

 

O adjetivo - dramático - mantém uma estreita ligação com o termo “drama”, cujo significado é “ação”. Tal ação é representada por meio da encenação de atores, que, no palco, são peças fundamentais. Destituída de narrador, o enredo é retratado pelos próprios personagens do espetáculo, mantendo uma perfeita sintonia entre a palavra verbalizada e o público expectador.

Cultuado desde a Antiguidade, sua origem deve-se aos gregos, haja vista que em suas festas religiosas homenageavam ao deus Dionísio (Baco). E entre os principais dramaturgos figuram-se:

* Ésquilo (Prometeu acorrentado)
* Sófocles (Édipo - rei, Electra)
* Eurípedes (Medeia, As bacantes)
* Aristófanes (A paz, Assembleia de mulheres)
* Antífanes (Menandro)

Dentre as características que perfazem tal modalidade estão: atores, que em consonância com outros elementos, como, figurino, maquiagem, cenário, gestos, reproduzem a história em forma de diálogos, divididos em atos e cenas;  e a ação propriamente dita, retratada numa sequência linear,constituída pela exposição, conflito, complicação, clímax e desfecho final.

Eram várias as espécies que representavam o gênero em questão, entre elas destacam-se:

A comédia, que para Aristóteles era a “imitação de homens inferiores, não quanto a toda a espécie de vícios, mas só quanto àquela parte do torpe que é o ridículo”. De caráter cômico, tinha o cotidiano como temática, satirizando os defeitos humanos e a sociedade como um todo, representada por personagens estereótipos das debilidades humanas, como o rabugento, o avaro, o apaixonado e o mesquinho. Sua estrutura consiste em uma situação complicada inicial, mas no final tudo acaba bem.

A tragédia, que para o filósofo, era “a imitação de uma ação de caráter elevado, suscitando o terror e a piedade. Tendo como efeito a purificação dessas emoções”. Retratada por um caráter mais sério e solene, com personagens humanos pertencentes às classes nobres, como reis, príncipes, que sofriam nas mãos dos deuses e do Destino. Sua estrutura consistia em uma ação inicial feliz, todavia com um final trágico, na qual a temática era baseada no sofrimento e na desgraça do protagonista.

A Tragicomédia, na qual o drama mesclava elementos trágicos e cômicos.

O Auto, uma peça curta, geralmente de conteúdo religioso ou profano, e, sobretudo, simbólico, uma vez que seus personagens não eram humanos, e sim, entidades abstratas, caracterizadas pela hipocrisia, bondade, luxúria, virtude, dentre outras. Eram representadas por ocasião das grandes festas religiosas, nos pátios ou no interior das igrejas, e muitas vezes nas praças.

A farsa, representada por uma pequena peça teatral, surgida por volta do século XIV, cujo objetivo era despertar o riso por meio da representação de situações ridículas, grotescas ou engraçadas e satirizar os costumes