Você está aqui: Página Inicial » Redação » Construção Textual » Barbarismo

Construção Textual

Texto:
por: Luana Castro Alves Perez

Barbarismo


O barbarismo é considerado um vício de linguagem que consiste no emprego incorreto de uma palavra ou expressão. Geralmente acontece sem que seja percebido.





O termo barbarismo é oriundo da palavra bárbaro, ou seja, aquele que subverte normas e leis e age de maneira incorreta
O termo barbarismo é oriundo da palavra bárbaro, ou seja, aquele que subverte normas e leis e age de maneira incorreta



Nossa língua portuguesa tornou-se vítima contumaz de alguns vícios e anomalias de linguagem que podem ser detectados tanto na modalidade escrita quanto na modalidade oral. Entre esses vícios e anomalias de linguagem, encontramos o barbarismo, termo empregado como referência aos erros de pronúncia, prosódia, ortografia, flexões, significado, palavras inexistentes na língua e formação irregular de palavras.

O termo barbarismo é derivado da palavra bárbaro, ou seja, aquele que é contrário às regras ou ao seu uso, que age de maneira incorreta. De acordo com o Dicionário Houaiss da língua portuguesa, uma das significações de barbarismo “é o uso de formas vocabulares contrárias à norma culta da língua”. Os barbarismos ocorrem sem que sejam percebidos, pois acontecem por ignorarmos a norma padrão que rege o uso de algumas palavras ou expressões. Veja abaixo alguns exemplos em que o barbarismo ocorre:

Barbarismo ortoépico:

Pneu por peneu.

Rubrica por rúbrica.

Gratuito por gratuíto.

Barbarismo ortográfico:

exceção por excessão.

Proeza por proesa.

Barbarismo gramatical:

quando eu vir por quando eu ver.

Ela está meio cansada por ela está meia cansada.

Barbarismo semântico (sentido das palavras e da interpretação das sentenças):

ir de encontro a (chocar-se com) e ir ao encontro de (estar a favor de, na direção de).

Barbarismo morfológico:

cidadãos por cidadões.

Um telefonema por uma telefonema.

Barbarismo mórfico:

filmoteca por filmeteca.

Antediluviano por antidiluviano.

aeronáutica por areonáutica.

Quando o erro é proposital, o barbarismo pode ser classificado como figura de linguagem usada para conferir maior expressividade à intenção de quem escreve. Fora dessa concessão, o barbarismo é qualificado como um erro que pode, eventualmente, comprometer uma situação comunicativa. Os vícios de linguagem ocorrem principalmente por descuido ou por desconhecimento da grafia ou pronúncia correta de uma palavra ou expressão. O termo barbarismo já foi empregado também para designar os erros cometidos por estrangeiros durante o processo de aquisição de linguagem, quando tentam adaptar à língua materna expressões de outra língua da qual são aprendizes.