Você está aqui: Página Inicial » Gramática » Sintaxe » Transitividade verbal

Sintaxe

Texto:
por: Vânia Maria do Nascimento Duarte

Transitividade verbal


Transitividade e intransitividade verbal dizem respeito ao fato de determinados verbos exigirem ou não complementos.





Transitividade e intransitividade verbal são aspectos da língua portuguesa cuja importância é notável
Transitividade e intransitividade verbal são aspectos da língua portuguesa cuja importância é notável



Falar sobre transitividade verbal e intransitividade verbal parece por ora retomar a complexidade que muitos usuários atribuem à língua portuguesa. Acerca de tal concepção, cabe a nós afirmar a você que à medida que vai aprimorando seus conhecimentos, com vistas, sobretudo, a aprimorar sua competência linguística, vai também descobrindo que se trata de uma concepção errônea, deturpada até.

Pois bem, o fato de que conceitos, uma vez apreendidos, sempre fazem parte de uma nova retomada para que um novo fato linguístico se incorpore ao nosso domínio, a questão que aqui é retratada se encontra presente em quase todos os aspectos ligados à sintaxe, propriamente dita. Dessa forma, entender acerca da transitividade é, senão, entender os pressupostos que transitam entre uma forma verbal e outra, ou seja, afirmando em outras palavras, saber quando um determinado verbo precisa de complemento e quando ele por si só possui sentido completo.

Assim, partindo para os exemplos, temos que:

Márcia saiu.

Márcia partiu.

Márcia chegou.

Márcia viajou...

Temos um mesmo sujeito acompanhado de distintos predicados, cujo núcleo se efetiva por verbos considerados intransitivos, visto que por si só possuem sentido completo, não precisando, portanto, de nenhum outro termo que lhes complemente.

Eu quero o doce.

Eu quero viajar.

Eu conheci o garoto.

Eu desejei estar sozinha.

Temos aqui um mesmo sujeito, por vezes constituído de predicados diferentes, cujos núcleos se encontram representados por verbos que necessitam de complementos, porém, sem o uso da preposição.  Em decorrência desse aspecto, são chamados de verbos transitivos diretos.

Eu dependo de você.

Eu gosto de doce.

Eu acredito em pessoas honestas.

Eu penso em coisas agradáveis.

Os predicados, embora constituídos de sujeitos idênticos, possuem núcleos (verbos) que requerem, necessariamente, complementos acompanhados de preposição. Assim, a esses verbos damos o nome de transitivos indiretos.