Você está aqui:
  1. Página Inicial
  2. Gramática
  3. Morfologia
  4. Preposições

Morfologia

Texto:

Preposições



As preposições são utilizadas para marcarem algumas relações entre unidades linguísticas e não são formas que possuem significado suficiente ao serem isoladas de um enunciado. Por essa razão, são caracterizadas por formarem uma classe gramatical dependente, ou seja, a função gramatical, de estruturação e organização, é predominante, considerando que a função semântica, que traz sentido e significado, possui um menor valor, embora também esteja presente.

O que são preposições?

As preposições são palavras usadas para marcar as relações gramaticais que substantivos, adjetivos, verbos e advérbios desempenham no discurso. Em outras palavras, as preposições são unidades linguísticas dependentes de outras, ou seja, elas não aparecem sozinhas no discurso e servem justamente para estabelecer a ligação entre dois termos. Vejamos alguns exemplos:

Camila gosta de praia.

A preposição de une o verbo gosta ao termo complementar “praia”, gerando relação entre essas unidades linguísticas e, também, sua função gramatical no discurso: “praia” é o complemento relativo de gosta.

Essa é uma pessoa de fibra.

Nesse outro exemplo, a mesma preposição de une o substantivo pessoa ao substantivo “fibra”, mas aqui a relação estabelecida entre as palavras é diferente: “fibra” será adjunto adnominal de pessoa.

Por isso, as preposições, apesar de parecerem palavras pequenas e superficiais, são tão importantes nos enunciados.

Leia também: Regência verbal e regência nominal: diferenças e regras

Classificação das preposições

A classe das preposições está dividida entre as preposições essenciais e as preposições acidentais.

  • Preposições essenciais

São aquelas que só aparecem na língua propriamente como preposições, sem outra função. Nos exemplos anteriores, vimos como a preposição de manteve-se sempre sendo preposição, embora tenha estabelecido relação entre unidades linguísticas diferentes, garantindo-lhes classificações diferentes de acordo com o contexto.

São preposições essenciais: a, ante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre, para, perante, por [ou per, em algumas variações históricas e geográficas], sem, sob, sobre, trás.

Exemplos

  • Caminhou até o parque para exercitar-se.
  • Farei o trabalho com você. Colarei os cartazes com fita adesiva.

No último exemplo, a preposição com possui significados diferentes: no primeiro caso, indica companhia, no segundo caso, indica instrumento.

  • Preposições acidentais

São aquelas que não possuem originalmente a função de preposição, mas que podem acabar exercendo essa função em determinados contextos.

São preposições acidentais: afora, como, conforme, durante, exceto, feito, fora, mediante, salvo, segundo, visto, entre outras.

Exemplos

Fora eu, todos foram bem.

Fora seria, comumente, um advérbio de lugar (Ex.: O objeto estava fora da bolsa.). Entretanto, no contexto da primeira frase, torna-se preposição acidental, já que significa “com exceção de”.

Segundo testemunhas, ficou tudo bem.

Segundo seria, comumente, um numeral (Ex.: Cheguei em segundo lugar na corrida.). Contudo, no contexto da primeira frase, torna-se preposição acidental, já que significa “de acordo com”.

As preposições são palavras essenciais para a gramática de nossa língua, mesmo não trazendo consigo muito significado.
As preposições são palavras essenciais para a gramática de nossa língua, mesmo não trazendo consigo muito significado.

Uso das preposições

É importante ressaltar que as preposições podem combinar-se ou contrair-se com outras palavras, mesmo que sejam de classes gramaticais diferentes. A combinação ocorre quando, ao juntar-se a outra palavra, não ocorre redução da preposição, não havendo, portanto, alteração fonética.

Ao ligarmos a preposição a ao artigo o, temos, por combinação, a preposição ao:

a + o = ao

a + os = aos

A contração, por sua vez, ocorre quando, ao juntar-se a outra palavra, há redução da preposição, podendo, inclusive, haver alteração fonética ou junção de sons — geralmente, estamos falando de preposição + artigo (definido: o/a/os/as, indefinido: um/uma/uns/umas), ou pronome (pessoal na 3ª pessoa: ele/ela/eles/elas, demonstrativo: este/isto/esse/isso/aquele/aquilo e suas variáveis no feminino e no plural).

Ao ligarmos a preposição a ao artigo a, temos, por contração, a preposição à (utilizamos crase para indicar essa contração):

a + a = à

a + as = às

a + aquele = àquele

a + aqueles = àqueles

a + aquela = àquela

a + aquelas = àquelas

Ao ligarmos a preposição em ao artigo o, temos, por combinação, a preposição no:

em + o = no

em + os = nos

em + a = na

em + as = nas

em + ele = nele

em + eles = neles

em + aquela = nela

em + aquelas = nelas

O caso repete-se com as preposições de, para e por.

Contrações aceitas pela norma padrão da língua portuguesa

 

por

a

para

de

em

o

pelo

ao

pro

do

no

a

pela

à

pra

da

na

os

pelos

aos

pros

dos

nos

as

pelas

às

pras

das

nas

um

 

 

 

dum

num

uma

 

 

 

duma

numa

uns

 

 

 

duns

nuns

umas

 

 

 

dumas

numas

ele

 

 

 

dele

nele

ela

 

 

 

dela

nela

eles

 

 

 

deles

neles

elas

 

 

 

delas

nelas

este

 

 

 

deste

neste

isto

 

 

 

disto

nisto

esse

 

 

 

desse

nesse

isso

 

 

 

disso

nisso

aquele

 

àquele

praquele

daquele

naquele

aquilo

 

àquilo

praquilo

daquilo

naquilo


Alguns verbos podem exigir que uma preposição venha acompanhada para dar sentido ao enunciado. É o que chamamos de regência verbal. Observe o exemplo:

O enfermeiro assistiu o médico.

Assistir, quando não acompanhado de preposição, tem sentido de auxiliar, ajudar.

A criança assistiu ao desenho na televisão.

Assistir, quando regido pela preposição a, tem sentido de ver, observar.

Leia também: O uso das preposições: adequação segundo a língua portuguesa

Locuções prepositivas

Quando temos um grupo de palavras com valor e emprego de uma preposição, damos a esse conjunto o nome de locução prepositiva. As principais locuções prepositivas são constituídas de um advérbio ou de uma locução adverbial seguido da preposição de, a e com. Alguns exemplos de locuções prepositivas estão na tabela a seguir:

abaixo de

de acordo com

junto a

acerca de

debaixo de

junto de

acima de

de modo a

não obstante

a fim de

dentro de

para com

à frente de

diante de

por baixo de

antes de

embaixo de

por cima de

a respeito de

em cima de

por dentro de

atrás de

em frente de

por detrás de

através de

em razão de

quanto a

com respeito a

fora de

sem embargo de

Exercício resolvido

Questão 1

(Vunesp - 2019) Assinale a alternativa que preenche correta e respectivamente as lacunas da frase a seguir, no que se refere à ocorrência da crase, conforme a norma padrão da língua.

O operador de câmera quis confirmar se estava correta __________ informação de que o número de pessoas dispostas __________ dedicar-se __________ aulas de matemática havia aumentado.

a) a … a … às

b) à … à … as

c) a … à … à

d) à … a … a

e) a … à … as

Solução

Alternativa a. A primeira ocorrência é apenas de artigo definido (a); a segunda ocorrência é apenas de preposição (a); já a terceira ocorrência pede contração entre a preposição a e o artigo as (às).


Por: Guilherme Viana