Jogadores brasileiros são cautelosos em vários aspectos

Por Equipe Português.com.br

Com base nos dados mais recentes, é evidente que os apostadores brasileiros estão se tornando cada vez mais conscientes.

No Brasil, à medida que o setor de apostas em dinheiro real evolui e se aproxima cada vez mais de um mercado totalmente regulamentado, a importância do jogo responsável tem sido cada vez mais destacada como sendo de vital importância

O governo brasileiro e as partes interessadas relevantes estão trabalhando para garantir que os jogadores estejam protegidos contra as possíveis armadilhas do vício em jogos de azar.

As iniciativas incluem a promoção da conscientização sobre as práticas de jogo responsável, a definição de limites para os gastos com jogos e o fornecimento de recursos para aqueles que possam estar vulneráveis a comportamentos compulsivos.

Os cassinos e as plataformas on-line também estão sendo incentivados a integrar opções de autoexclusão e a fornecer informações claras sobre os riscos associados ao jogo. Ao priorizar o bem-estar dos jogadores, o Brasil pretende cultivar uma cultura de jogos que seja agradável e segura.

Pesquisas recentes destacaram as apreensões que muitos brasileiros têm em relação à natureza viciante do jogo, com 25% expressando altos níveis de conscientização e preocupação.

Esse número supera o de outros países da América Latina, ressaltando a consciência elevada entre os jogadores brasileiros.

Mas não é apenas em termos de conscientização sobre o possível vício em jogos de azar que os brasileiros são cautelosos em relação aos jogos de apostas como descobriremos a seguir.

Frequência das apostas e tempo gasto sob controle

Os jogos on-line são predominantemente uma atividade de lazer, o que agrada a todas as partes envolvidas.

Um estudo realizado pelo cassino online brasileiro KTO mostra que a maioria, 61%, se envolve esporadicamente durante o ano ou aproximadamente mensalmente.

16% dos entrevistados na pesquisa disseram que jogam uma vez por semana, 14% disseram que jogam mais de duas vezes por semana e um número ainda menor (8%) joga diariamente.

O mesmo estudo mostra que, em termos de tempo real gasto com jogos de apostas, a maioria dos indivíduos aloca menos de 30 minutos por semana (42%), enquanto 58% não ultrapassam uma hora.

À medida que o tempo de jogo semanal aumenta, a porcentagem de participantes cai drasticamente, com pouco mais de 2% dedicando mais de uma hora por dia.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Apostas baixas, risco baixo

O mesmo estudo também analisou os valores, em dinheiro real, que os brasileiros estavam arriscando mensalmente.

Ao pesquisar os meios de jogos on-line e convencionais, o mesmo estudo da KTO descobriu que quase 67% dos jogadores não alocam mais de R$50 (cerca de US$10) por mês para sua paixão.

25% jogam entre R$ 10 e 25 por mês, tanto "em geral" quanto "somente on-line.

Um número significativo de 19% gasta menos de R$10, e apenas uma pequena fração (7%), a mais baixa de todas, admite gastar mais de R$200 por mês.

Fonte: KTO

 

Isso destaca que, para a maioria, os jogos com dinheiro real ainda são predominantemente recreativos.

Brasil versus outros países da América Latina

A pesquisa realizada pelo Statista sugere que os jogadores brasileiros não apenas são contidos em termos de tempo e dinheiro gastos em jogos de azar e estão cientes dos perigos do vício, mas também são cautelosos de outras formas. E, significativamente, mais do que os jogadores de dinheiro real em outros países da América Latina.

Fonte: Statista

 

A pesquisa da Statista analisou a opinião pública sobre os fatores que tornariam as pessoas mais confiantes em relação aos jogos de azar on-line em países selecionados da América Latina, a partir de janeiro de 2022. As principais conclusões incluem:

  • O Brasil ficou em primeiro lugar (47%) em termos de desejo de melhores informações sobre jogos de azar responsáveis.

  • Também teve a maior porcentagem (52%) de todos os países pesquisados em termos de querer "mais informações sobre as empresas de jogos de azar".

  • Eles ficaram novamente em primeiro lugar (44%) em termos de "melhores regulamentações locais para proteger meus dados" e "melhores informações sobre proteção"; em ambos os casos, 44% concordaram que esses fatores eram importantes.

Na maioria dos outros fatores listados na pesquisa, os brasileiros ficaram atrás apenas dos jogadores colombianos, que também demonstram altos níveis de conscientização sobre os perigos dos jogos de azar e a necessidade de proteção.

Mais procurados

Coco, côco ou cocô?

Coco”, “côco” e “cocô” são palavras que causam bastante dúvida na escrita. Estão corretas apenas “coco” e “cocô”.

Liev Tolstói

Ele é um dos principais nomes do realismo em seu país e escreveu livros famosos, como os romances Guerra e paz e Anna Karenina.

Ultrarromantismo

O Ultrarromantismo é um movimento literário que corresponde à segunda fase romântica das literaturas portuguesa e brasileira.

Vim ou vir?

Tanto a forma “vim” quanto a forma “vir” estão corretas, mas cada uma delas é usada em situações específicas.

Memórias póstumas de Brás Cubas

Memórias póstumas de Brás Cubas é o primeiro romance realista de Machado de Assis

Mais procurados background