Incorreções gramaticais

Por Vânia Maria do Nascimento Duarte

Incorreções gramaticais são desvios cometidos pelo usuário, às vezes por falta de conhecimento ou por descuido
Incorreções gramaticais são desvios cometidos pelo usuário, às vezes por falta de conhecimento ou por descuido

Incorreções são atitudes consideradas comuns quando o assunto faz referência à língua que falamos, dada a complexidade que a rege. Mas não podemos deixar que isso se perpetue ao longo do tempo, visto que determinadas atitudes comprometem seriamente nossa performance linguística, causando-nos algumas limitações.

Dessa forma, partindo do princípio de que a constante familiaridade com os pressupostos que norteiam a modalidade padrão da linguagem, sobretudo as regras preconizadas pela gramática, tende a contribuir para o aperfeiçoamento de algumas habilidades consideradas essenciais, o artigo em questão tem por finalidade retratar algumas situações em que tais desvios se manifestam:

* Ouvimos por aí que as casas são germinadas...
Ora, elas só podem geminadas, visto que tal adjetivo é derivado do substantivo “gêmeos”.

* Fulano é de maior, ou, na maioria das vezes, ele é de menor....
Saiba que em ambas as situações, ele é maior ou menor de idade.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

* Não diga! Não é que aquele aluno ficou de recuperação?
Ele não ficou de recuperação, mas sim para recuperação.

* Quando alguém se parece com o pai ou com a mãe, normalmente ouvimos por aí “cuspido e escarrado”.
Contudo, tal discurso torna-se passível de ser reformulado, haja vista que a referida enunciação deveria assim ser proferida:
O filho (a) saiu ao pai (ou a mãe), esculpido (a) e encarnado (a).

* Ao enviar uma comunicação qualquer, às vezes, ao final, o emissor diz: estou no aguardo de notícias.
No entanto, nada de assim dizer, pois a forma correta é “estou aguardando notícias”.

* Não raras as vezes ouvimos alguém dizer “apêndice estuporado”, e não supurado.
Pois bem, estuporado significa dizer que algo está paralisado, entorpecido, em estado de estupor. Dessa forma, correto é dizermos apêndice supurado, ou seja, convertido em pus.

* Seu caderno é espiral ou aspiral?
Para chegarmos a uma conclusão é só percebermos que ele tem a forma da rosca de um parafuso, portanto, “espiral”.

Mais procurados

Uso dos porquês

Conte com o artigo para não errar mais o uso dos porquês.

Cedilha

Afinal, por que a cedilha não está entre as letras do nosso alfabeto?

Modo dos verbos

O verbo pode ser flexionado de três formas diferentes. Revise já!

A ou há?

Aprenda agora mesmo a usar cada uma dessas expressões.

Carteira de Estudante no Brasil Escola

Acesse e saiba como solicitar a sua carteirinha de estudante Brasil Escola. É rápido e fácil!

Mais procurados background