O pronome todo - Acepções semânticas

Por Vânia Maria do Nascimento Duarte

Algumas das peculiaridades que norteiam os fenômenos linguísticos se encontram arraigadas na semântica, isto é, submetidas ao significado contextual que representam mediante um enunciado específico.

Partindo-se de tal pressuposto, referimo-nos ao caso do pronome “todo” – quando empregá-lo, estando precedido ou não do artigo? De modo a checarmos como realmente se efetiva esta ocorrência, observemos:


Constatamos que no 1º caso o pronome não se encontra acompanhado de nenhum determinante, visto que o sentido retratado por ele se refere a “qualquer um”, tendo em mente a variedade de pratos que “supostamente” foram servidos. O contrário acontece no 2º exemplo, uma vez que o sentido agora se atém à completude, ou seja, os convidados devoraram a sobremesa por inteiro.

Diante disso, o emprego ou não do artigo está relacionado à noção de significância atribuída pelo pronome em pauta, evidenciando-se da seguinte forma:

Todo(s) + substantivo retrata a ideia de “qualquer”, “cada”.

Ex: Todo ser humano é dotado de personalidades e atitudes próprias.

Todo(s) + o + substantivo revela a noção de “inteiro”, “completo”.

Ex: Li todas as obras machadianas.

Entretanto, este caso, assim como tantos outros, se perfaz de algumas particularidades (vistas como exceções que fogem à regra geral) às quais devemos nos atentar. Eis que são:

* O pronome “todo”, tido na sua forma pluralizada (todos) será usado sem o artigo quando um numeral substantivo o acompanhar.

Ex: Quando cheguei, todos dois resolveram se calar.

* A mesma ocorrência efetivar-se-á quando houver um nome em função predicativa.

Ex: A empresa contava com cinco colaboradores, todos licenciados em diversas áreas do conhecimento. (todos eram licenciados em diversas áreas)

* Caso o numeral for seguido de um substantivo, faz-se necessário o emprego do artigo.

Ex: Todos os quatro representantes compareceram à reunião.

* O referido pronome será concebido como advérbio quando este retratar o sentido de “completamente” – fato pelo qual, teoricamente, teria de ser invariável. Contudo, poderá ser flexionado (seja em número ou gênero), como se fosse adjetivo.
Exemplos:

O objeto estava todo danificado.
Os convidados aparentavam estar todos ansiosos pela chegada da aniversariante.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Mais procurados

Uso dos porquês

Conte com o artigo para não errar mais o uso dos porquês.

Cedilha

Afinal, por que a cedilha não está entre as letras do nosso alfabeto?

Modo dos verbos

O verbo pode ser flexionado de três formas diferentes. Revise já!

A ou há?

Aprenda agora mesmo a usar cada uma dessas expressões.

Carteira de Estudante no Brasil Escola

Acesse e saiba como solicitar a sua carteirinha de estudante Brasil Escola. É rápido e fácil!

Mais procurados background