Seguir e continuar

Por Vânia Maria do Nascimento Duarte

Seguir e continuar, somente em determinados contextos, representam palavras sinônimas
Seguir e continuar, somente em determinados contextos, representam palavras sinônimas

Seguir e continuar, frequentemente, representam os muitos desvios cometidos pelos usuários, em que tal ocorrência se manifesta pela troca de uma forma pela outra, simplesmente pelo fato de serem concebidas como palavras sinônimas.

Nesse sentido, torna-se relevante salientar que, em se tratando de alguns contextos, esta concepção é tida como adequada, contudo, em outros ela não procede – motivo esse de tantas confusões. E para que nossa discussão se torne ainda mais ampliada, verificaremos alguns dos muitos sentidos que podemos atribuir ao verbo “seguir”, ora manifestados por:

Muitas vezes temos a intenção de seguir os passos de alguém (sentido de andar no mesmo ritmo dessa pessoa); seguimos, por que não, um exemplo (sentido de imitar o modelo de algo, de uma ação); podemos também seguir uma dada religião (aderir-nos a ela); seguimos, pois, as regras do jogo (no sentido de não infringi-las); alguém pode seguir uma determinada carreira (sentido de ingressar numa dada profissão); e assim seguimos com a ideia em questão.

Quando falamos sobre a sinonímia, a qual pode ser atribuída a ambas as formas verbais, pensamos no último exemplo, representado por “seguimos com a ideia em questão”. O que é possível constatar é que o verbo “continuar” também se encaixa na noção desenvolvida pelo enunciado, ou seja, podemos perfeitamente substituir o verbo “seguir” pelo verbo “continuar”, isto é, “continuamos com a ideia em questão”.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que na verdade não se discute é o emprego errôneo do verbo “seguir” na condição de um verbo de ligação e, consequentemente, seguido de um predicativo do sujeito, como em:

A reunião segue tranquila. (quando na verdade o conveniente seria “continua” tranquila).

Neste caso, temos um sujeito – a reunião;

Bem como:

Um predicado – continua tranquila, uma vez que “tranquila” se refere ao predicativo do sujeito.

O porquê de não utilizarmos o verbo “seguir” nesse caso é simples, haja vista que o predicativo “tranquila” contrasta com a ideia de “seguir”, pois este dá uma ideia de ação, tal qual expressa nos diversos sentidos acima citados.

Portanto, não se esqueça! Tais formas somente são permutáveis quando a ideia retratada for de “dar seguimento, continuidade”:

Após o jantar, seguiremos (continuaremos) aquela nossa conversa.

Mais procurados

Uso dos porquês

Conte com o artigo para não errar mais o uso dos porquês.

Cedilha

Afinal, por que a cedilha não está entre as letras do nosso alfabeto?

Modo dos verbos

O verbo pode ser flexionado de três formas diferentes. Revise já!

A ou há?

Aprenda agora mesmo a usar cada uma dessas expressões.

Carteira de Estudante no Brasil Escola

Acesse e saiba como solicitar a sua carteirinha de estudante Brasil Escola. É rápido e fácil!

Mais procurados background