Você está aqui:
  1. Página Inicial
  2. Gramática
  3. Morfologia
  4. Uniformidade de Tratamento

Morfologia

Texto:

Uniformidade de Tratamento




A uniformidade de tratamento se efetiva por meio da adequação do pronome à pessoa gramatical que corresponde a ele
A uniformidade de tratamento se efetiva por meio da adequação do pronome à pessoa gramatical que corresponde a ele

Eis que a língua que falamos se encontra submetida a um conjunto de leis combinatórias. Tal noção nos remete, portanto, à modalidade escrita da linguagem que, como tal, deve estar em pleno acordo com tais leis. Por isso, quando falamos em uniformidade de tratamento estamos fazendo referência a nada mais nada menos que a utilização de maneira uniforme dos pronomes que ora se adequam a uma dada pessoa gramatical.

Partindo desse pressuposto, ocupemo-nos em compreender como se dá de forma efetiva essa adequação, de modo a nos tornarmos conhecedores das peculiaridades que nutrem os fatos gramaticais. Assim sendo, vejamos alguns exemplos:

Não concordo com você, por isso não te apoiei.

Ao analisarmos os pronomes empregados, constatamos a não uniformidade entre eles, haja vista que a forma que melhor se adequa é:

Não concordo com você, por isso não o apoiei.

Ou também podemos dizer:

Não concordo contigo, por isso não te apoiei.

Vejamos agora alguns casos relacionados aos pronomes “eu” e “mim”:

A pesquisa é para eu fazer.

Convimos que se trata de uma uniformidade de tratamento, visto que o pronome “eu” é do caso reto, funcionado, portanto, como sujeito da oração.

Dessa forma, nunca diga: isso é para mim fazer.

Agora, observe esta outra colocação:

Os trabalhos foram entregues para mim.

Nesse caso, a uniformidade também foi evidenciada, dada a condição do pronome pessoal do caso oblíquo “mim” representar o objeto direto da oração.

Seguimos com nossa análise, atendo-nos a outro exemplo:

Desentendimentos surgiram entre eu e tu.

Ora, nada de conveniente, pois vejamos as formas que melhor cabem nesse contexto:

Desentendimentos surgiram entre mim e ti.
Desentendimentos surgiram entre ti e mim.
Desentendimentos surgiram entre mim e você.
Desentendimentos surgiram entre você e mim.
Desentendimentos surgiram entre nós.

E se disséssemos que desentendimentos surgiram entre ele e eu?

Por certo que seria mais conveniente dizermos que desentendimentos surgiram entre mim e ele ou entre ele e mim.


Por: Vânia Maria do Nascimento Duarte