Você está aqui: Página Inicial » Gramática » Semântica » Entorno, em torno e torno – particularidades semânticas

Semântica

Texto:
por: Vânia Maria do Nascimento Duarte

Entorno, em torno e torno – particularidades semânticas








Mesmo que apresentem semelhança sonora, divergem-se quanto ao significado

 

Se você é uma daquelas pessoas que vive em torno de um dicionário, cujo intento é buscar a forma correta de utilizar esta ou aquela palavra, saiba que, enquanto usuário dessa inestimável língua, no caso a língua portuguesa, está no caminho certo, sobretudo em se tratando de situações ligadas à modalidade escrita.

Agindo assim, descobrirás que no entorno daquelas seções reservadas à gramática, lá estará o dicionário, pronto a lhe servir. Mas não se preocupe, pode ser que a fonte bibliográfica com a qual acabou de estabelecer familiaridade não retrate o significado desejado por você. Dessa forma, veja as palavras usadas por outro usuário:

- Quando isso ocorre, eu opto por uma fonte diferente e torno a buscar incessantemente pela palavra em evidência, até encontrá-la.

Caro usuário (a), essa foi uma forma diferenciada que encontramos para abordar de forma efetiva o assunto que nos propomos a discutir, isto é, fazer com que você entenda acerca dos traços que demarcam as expressões que, sem nenhuma dúvida, por apresentarem semelhança sonora, podem se tornar alvo de alguns questionamentos quanto à correta utilização. Como pôde perceber, tais expressões encontram-se destacadas nos exemplos mencionados, e é exatamente por elas que começaremos:

No primeiro exemplo temos “em torno”, ora representando uma locução adverbial de lugar, que denota “em volta”. Portanto, tal termo seria perfeitamente aceitável ao discurso, uma vez que se trata de um sinônimo.


Quanto ao segundo, “entorno” significa o ambiente existente em redor de qualquer ponto central, ou seja, os dicionários poderão ser encontrados circunvizinhos à área reservada à gramática. Ora, são vizinhos!

Perceba que ao pronunciarmos a palavra em questão, constatamos que o primeiro “ô” representa um som fechado. Contudo, tal som poderia também ser manifestado com um tom mais aberto, ou seja, entorno (ó), sendo que o acento agudo e o circunflexo somente foram utilizados a título de exemplificação. Aí sim, o termo adquiriria um novo sentido semântico (significado) – retratado pela primeira pessoa do presente do indicativo do verbo entornar. Vamos ver um exemplo?

Já vi que eu entorno o caldo, caso não tenha cuidado.

O terceiro caso apresenta o mesmo aspecto do segundo, pois ao sinalizar o “ó” aberto, refere-se também à primeira pessoa, só que do verbo tornar, voltar. Mas você sabia que existe o torno, ora pronunciado com o som fechado (ô)?
Nesse caso, referimo-nos a um substantivo masculino representado por uma máquina empregada para dar acabamento a peças, fixando-as entre as pontas de eixos revolventes e trabalhando-as com ferramentas adequadas. Dessa forma, observe um exemplo:

O torno dá polidez e forma às esculturas.

Mediante nossos estudos, cabe ressaltar que ao analisarmos o verbo “torno” e o substantivo “torno”, assim como o verbo “entorno” e o substantivo “entorno”, podemos afirmar que cada par se trata de palavras homógrafas, ou seja, iguais na escrita, mas que se divergem quanto à pronúncia e quanto ao significado. Já as palavras “em torno” e “entorno” são consideradas homófonas (levando-se em consideração a tonicidade fechada da vogal “o”), visto que se divergem na escrita e no significado, mas são iguais na pronúncia.