Ortografia

Texto:

Cedilha


A cedilha “Ç” é a união da letra “C” com um sinal diacrítico para evidenciar que ela tem som de “S”, o que traz algumas dúvidas para a escrita.



 A CEDILHA é um sinal diacrítico usado debaixo da letra C. Ela é usada apenas no meio de palavras e junto às vogais A, O e U, apresentando o som do fonema [s]. Junto às vogais E e I, usa-se apenas a letra C.

Leia também: 10 erros gramaticais que ninguém deveria cometer

Regras para uso da cedilha

1. As palavras de origem ÁRABE, AFRICANA e INDÍGENA recebem Ç.

Exemplos:

Itauçu

Açúcar

Iguaçu

Açafrão

Açucena

Miçanga

Jacaré-açu

Araçá

Muçulmano

Aç

Cachaça

Paçoca

Açougue

Caçula

Paiçandu

 

De qualquer forma, na dúvida, o ideal é recorrer ao dicionário para verificar tanto a grafia quanto a origem do vocábulo.

Leia também: Tampouco ou tão pouco?

2. -SSÃO, -SÃO ou -ÇÃO

- Normalmente, quando o verbo primitivo termina em -MER, -MIR -TER, -TIR, -DER, -DIR, usam-se os sufixos -SSÃO (após vogal) e -SÃO (após consoante).

Exemplos:

Apreender – apreensão

Permitir - permissão

Admitir - admissão

Imprimir – impressão

Transmitir - transmissão

Converter - conversão

Remir – remissão

Ceder - cessão

Subverter - subversão

Agredir - agressão

Suceder - sucessão

Expelir - expulsão

Regredir - regressão

Conceder - concessão

Repelir – repulsão

Progredir - progressão

Pretender - pretensão

Demitir - demissão

Transgredir - transgressão

Ascender - ascensão

Reverter - reversão

Omitir - omissão

Verter - versão

 

 

Quando o verbo primitivo possui qualquer outra terminação que não sejam as supracitadas, usa-se o sufixo -ÇÃO.

Exemplos:

  • Narrar – narração

  • Promover – promoção

  • Propagar – propagação

  • Retaliar – retaliação

  • Transformar – transformação

  • Formar – formação

  • Corrigir – correção

3. Usa-se Ç após ditongos.

Exemplos:

  • Eleição

  • Traição

  • Feição

  • Traiçoeiro

Por que a cedilha não está no alfabeto?

A Ç não é uma letra, mas a junção da letra C com o sinal diacrítico (distintivo) cedilha. Ele não consta do alfabeto pela mesma razão que lá não está o Ã. Os sinais diacríticos do português são a cedilha, os acentos gráficos (agudo e circunflexo), o til e, até pouco tempo atrás, o hoje extinto trema. Isso significa que apenas a letra C deve estar no alfabeto e, quando for necessário, aciona-se o cedilha (pequeno z colocado abaixo da letra) para dar-lhe som de S.

Por que o CE e o CI não possuem cedilha?

A cedilha é um sinal diacrítico que serve para mudar a sonoridade da letra C, indicando que ela passa a ter som de [S]. Como junto às vogais E e I, a letra C já possui naturalmente som de [S], o uso do cedilha é desnecessário.

Veja:

Cidade

Céu

Acidente

Acento

Você

Saci

A cedilha é um acento?

Não. A cedilha é um sinal diacrítico (sinais que se acrescentam às letras para mudar-lhes a pronúncia). Nesse sentido, ele se assemelha aos acentos agudo e circunflexo, pois estes também são sinais diacríticos. Os acentos, porém, possuem funções diferentes, visto que, além de indicar sonoridade aberta (agudo) ou fechada (circunflexo) nas palavras, evidenciam qual é a sua sílaba tônica. Logo, apesar de fazerem parte de um mesmo grupo de recursos – os sinais diacríticos – não são a mesma coisa.

Origem da cedilha

Ainda que não mais seja usada no espanhol desde o século XVIII, a Ç tem sua gênese na Espanha.  A palavra vem de "ceda", nome da letra Z, em espanhol. Originalmente, o “tracinho” que se coloca abaixo do C era um pequeno Z cuja finalidade era indicar que a letra correspondia ao som de S.

  


O uso do cedilha causa dúvidas em muitas pessoas.
O uso do cedilha causa dúvidas em muitas pessoas.
Por: Jairo Beraldo