Vícios de linguagem

Por Guilherme Viana

Os vícios de linguagem são desvios não intencionais da norma-padrão da língua, gerando problemas de entendimento do enunciado ou ruídos na comunicação. Estão relacionados a desvios de sintaxe, erros no emprego de uma palavra, pleonasmo não intencional, ambiguidade de sentido, entre outros problemas de comunicação.

Veja também: Hipérbato – figura de linguagem que consiste na inversão sintática

O que são vícios de linguagem?

Os vícios de linguagem são desvios não intencionais da norma-padrão do idioma ou construções linguísticas inadequadas que geram problemas ou ruídos na comunicação. Os vícios de linguagem devem ser evitados em contextos formais e que exijam o uso da norma-padrão da língua portuguesa.

Classificação dos vícios de linguagem

Agora, vejamos alguns dos principais vícios de linguagem com seus respectivos exemplos.

  • Solecismo

Solecismo é o desvio que envolve erros de sintaxe na construção de um trecho ou combinação de palavras, podendo ser de concordância, de regência, de colocação e de má estruturação.

Exemplos:

Concordância

“Meus irmão são muito briguentos.” em vez de “Meus irmãos são muito briguentos.”

Regência

“Cheguei na sua casa.” em vez de “Cheguei à sua casa.”

Colocação

“Ela não falou-me isso.” em vez de “Ela não me falou isso.”

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

  • Barbarismo

Barbarismo é o desvio envolvendo erros no emprego de uma palavra, tratando de questões fonéticas (de som e de pronúncia), morfológicas (de ortografia e de flexões) ou semânticas (de sentidos e de significados).

Exemplos:

Pronúncia

“Rúbrica” em vez de “Rubrica” (sílaba tônica em “bri”)

Ortografia

“Ancioso” em vez de “Ansioso”

Sentido

“Eu assumi que o evento já tivesse acabado.” em vez de “Eu supus que o evento já tivesse acabado.”

  • Estrangeirismo

Estrangeirismo é o uso de palavras, expressões e construções típicas de idiomas estrangeiros como se pertencessem à língua portuguesa. É natural a apropriação de certas palavras e expressões estrangeiras, mas a ocorrência desse fenômeno em excesso é tida como um vício de linguagem.

Exemplo:

“Esse filme, apesar de vintage, é muito trash. O pessoal diz que gosta pra se fazer de cool.”

  • Pleonasmo vicioso

O pleonasmo vicioso refere-se ao uso de termos redundantes de maneira não intencional, causando a repetição desnecessária de uma ideia.

Exemplos:

  • “Sair para fora”
  • “Entrar para dentro”
  • “Descer para baixo”
  • “Subir para cima”
  • Ambiguidade

A ambiguidade ocorre quando é possível depreender mais de um sentido em um enunciado pelo fato de ele não ter uma construção adequada.

Exemplo:

“Preciso que você confirme se ele pode ir com a sua mãe.”

De quem é a mãe: de “você” ou “dele”? É para confirmar com a mãe se ele pode ir ou é para confirmar se ele pode ir com a mãe?

  • Cacofonia

A cacofonia acontece quando a sequência de duas ou mais palavras gera um som desagradável e indesejado.

Exemplos:

  • “Música gospel”
  • “Boca dela
  • Eco

O eco é o desvio em que, no enunciado, ocorre uma repetição não intencional de sons, gerando rimas que atrapalham o discurso.

Exemplo:

“Sem descanso, avanço descalço.”

Veja também: Assonância – figura de linguagem que consiste na repetição de sons vocálicos

  • Arcaísmo

O arcaísmo é caracterizado pelo uso de vocábulos ou construções arcaicas que caíram em desuso e não são mais válidas hoje em dia.

Exemplos:

  • “Físico” em vez de “Médico”
  • “Fremoso” em vez de “Formoso”
Os vícios de linguagem são desvios não intencionais que podem gerar ruído na comunicação.
Os vícios de linguagem são desvios não intencionais que podem gerar ruído na comunicação.

Exercícios resolvidos

Questão 1 – (Ufop) Qual o vício de linguagem que se observa na frase: “Eu não vi ele faz muito tempo”.

A) solecismo

B) cacófato

C) arcaísmo

D) barbarismo

E) colisão

Resolução

Alternativa A. O solecismo é caracterizado por erros de sintaxe. No enunciado, há desvio no uso do pronome com “eu vi ele” em vez de “eu o vi”.

Questão 2 – (Consesp) Assinale a alternativa em que não se verifica pleonasmo (vicioso ou estilístico).

A) É preciso encarar de frente os problemas da vida.

B) Vi com os olhos os preços dos remédios na tabuleta.

C) Chorei aquelas lágrimas terríveis e doloridas.

D) A brisa matinal da manhã soprou calma como nunca.

E) Pus fogo no monte de lenha.

Resolução

Alternativa E. Não há nenhum termo redundante no enunciado

Mais procurados

Uso dos porquês

Conte com o artigo para não errar mais o uso dos porquês.

Cedilha

Afinal, por que a cedilha não está entre as letras do nosso alfabeto?

Modo dos verbos

O verbo pode ser flexionado de três formas diferentes. Revise já!

A ou há?

Aprenda agora mesmo a usar cada uma dessas expressões.

Carteira de Estudante no Brasil Escola

Acesse e saiba como solicitar a sua carteirinha de estudante Brasil Escola. É rápido e fácil!

Mais procurados background