Marcel Proust

Por Warley Souza

Marcel Proust foi um romancista conhecido mundialmente cujos livros estão inseridos no modernismo francês. Em busca do tempo perdido<\i> é a sua obra mais importante.

Selo impresso em homenagem a Marcel Proust, um dos principais representantes do modernismo francês. [1]
Selo impresso em homenagem a Marcel Proust, um dos principais representantes do modernismo francês. [1]

Marcel Proust foi um conhecido romancista francês. Ele nasceu em uma rica família, no dia 10 de julho de 1871, na cidade de Paris. Durante toda a vida, enfrentou problemas de saúde causados pela asma. Ainda assim, conseguiu aproveitar sua juventude, estudou na Universidade Sorbonne e se dedicou à escrita de sua grande obra.

O escritor, que morreu em 18 de novembro de 1922, em Paris, foi um dos principais representantes do modernismo francês. Sua principal obra é Em busca do tempo perdido, composta por sete volumes. Nela, fica evidenciado o estilo analítico do escritor, marcado pelo fluxo de consciência e pela ironia.

Leia também: Fernando Pessoa — um dos principais autores do modernismo português

Resumo sobre Marcel Proust

  • O romancista francês Marcel Proust nasceu em 1871 e faleceu em 1922.

  • Ele estudou Filosofia, além de ter adquirido a licenciatura em Letras na Sorbonne.

  • As obras do autor estão inseridas no modernismo francês.

  • Seus textos apresentam estilo prolixo e monólogo interior.

  • Sua obra mais famosa é Em busca do tempo perdido, dividida em sete romances.

Biografia de Marcel Proust

Marcel Proust nasceu em 10 de julho de 1871, em Paris, na França. Era filho de um médico e professor chamado Adrien Proust (1834-1903), que era católico. Já sua mãe, de origem judia, era Jeanne Clemence Proust (1849-1905), pessoa de quem o escritor era muito próximo.

Integrante de uma rica família, Proust pôde ter uma boa educação. Estudou no Liceu Condorcet. Mais tarde, dedicou-se exclusivamente à escrita. Já o irmão mais novo, Robert Proust (1873-1935), seguiu os passos do pai e se formou em Medicina. Teve grande importância na vida do autor, pois seria Robert o responsável pela publicação de seus últimos romances.

Retrato de Marcel Proust ao lado de seu irmão, Robert Proust.
Marcel Proust (à sua esquerda na imagem) e seu irmão Robert Proust (à sua direita na imagem), quem publicou os últimos romances do autor.

Desde a infância, Marcel Proust enfrentava problemas de saúde relacionados à asma, tendo a primeira crise em 1880. Na adolescência, experimentou a idealização amorosa ao se apaixonar por Marie de Bénardaky (1874-1949), que serviria de inspiração para a personagem Gilberte de Em busca do tempo perdido.

Começou a estudar Filosofia, em 1888, com o professor Alphonse Darlu (1849-1921). No ano seguinte, decidiu se alistar no exército, permanecendo durante um ano. Em 1890, foi redator da revista Le Mensuel. Na juventude, quando não apresentava as crises asmáticas, aproveitava os prazeres da vida.

Em 1894, conheceu o compositor Reynaldo Hahn (1874-1947), com quem teve um relacionamento amoroso até 1896, quando decidiram ser apenas amigos. Em 1895, adquiriu a licenciatura em Letras, na Sorbonne. E, no ano seguinte, em 1896, publicou seu primeiro livro — Os prazeres e os dias.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O pai faleceu em 1903. Dois anos depois, ocorreu a morte da mãe do escritor, que ficou bastante abalado. No final de 1905, ele se submeteu a um tratamento psicoterapêutico na clínica do famoso doutor Paul Sollier (1861-1933). Em janeiro do ano seguinte, o autor desistiu do tratamento.

A partir daí, o escritor recorreu a períodos de isolamento para escrever Em busca do tempo perdido. Em 1917, Proust se apaixonou pelo garçom suíço Henri Rochat, com quem teve um relacionamento durante dois anos. No entanto, o jovem amante só causou problemas ao escritor, inclusive financeiros.

No ano seguinte à publicação do segundo volume de Em busca do tempo perdido, o romancista ganhou o Goncourt, o mais importante prêmio literário francês. Uma grande homenagem em vida para esse autor, que faleceu em 18 de novembro de 1922, em Paris, devido a uma pneumonia.

Qual o estilo literário de Marcel Proust?

Marcel Proust é um dos principais nomes do modernismo francês, e suas obras possuem estas características:

  • estilo prolixo;

  • elementos autobiográficos;

  • construção de períodos longos;

  • caráter reflexivo;

  • temas cotidianos;

  • crítica de costumes;

  • uso de ironia;

  • recorrência de metáforas;

  • monólogo interior;

  • homoerotismo;

  • reflexão sobre o tempo.

Principais obras de Marcel Proust

  • Os prazeres e os dias (1896)

  • A morte das catedrais (1904)

  • Em busca do tempo perdido (1913-1927):

    • No caminho de Swann (1913);
    • À sombra das moças em flor (1918);

    • O caminho de Guermantes (1922);

    • Sodoma e Gomorra (1923);

    • A prisioneira (1923);

    • A fugitiva (1925);

    • O tempo redescoberto (1927).

  • Crônicas (1927)

  • Jean Santeuil (1952)

  • Contra Sainte-Beuve (1954)

Análise da obra Em busca do tempo perdido, de Marcel Proust

Rascunho de um dos volumes da série “Em busca do tempo perdido”, de Marcel Proust.
Rascunho de um dos volumes da série Em busca do tempo perdido, de Marcel Proust.

Em busca do tempo perdido é uma famosa obra de Marcel Proust e possui sete volumes. Foi escrita durante os últimos anos da vida do autor. Assim, o primeiro volume foi publicado em 1913; e o último volume, em 1927, anos após a morte do escritor. No caminho de Swann é o primeiro romance da série.

Nesse primeiro volume, o narrador apresenta a própria infância, sua relação com os familiares e também com os seus vizinhos, a família Swann, composta por Charles, Odette e Gilberte, filha do casal. Já em À sombra das moças em flor, segundo romance da série, o protagonista tem sua primeira decepção amorosa, pois é rejeitado por Gilberte.

Porém ele conhece Albertine, com quem terá um relacionamento mais tarde. Antes disso, ele experimenta os prazeres da juventude no terceiro volume, intitulado O caminho de Guermantes, até se decepcionar com a futilidade aristocrática. Desse modo, em Sodoma e Gomorra, Albertine volta à cena.

Nesse quarto romance, o narrador e protagonista é amante de Albertine, mas suspeita que ela seja lésbica. Já em A prisioneira, fica em evidência o amor possessivo do protagonista em relação à sua amante Albertine. E, em A fugitiva, penúltimo volume da série, o narrador experimenta, mais uma vez, a sensação de rejeição, sofre com a morte de Albertine e reencontra Gilberte, agora casada como Robert de Saint-Loup, um Guermantes.

Finalmente, em O tempo redescoberto, o protagonista reflete sobre a passagem do tempo e sobre as transformações causadas por ela. No final de Em busca do tempo perdido, as transformações sociais da França de final do século XIX e início do século XX ficam evidenciadas, com a decadência da aristocracia e o protagonismo burguês.

Veja também: Gustave Flaubert — um importante autor do realismo francês

Frases de Marcel Proust

A seguir, vamos ler algumas frases de Marcel Proust, retiradas de suas obras Os prazeres e os dias, À sombra das moças em flor e A prisioneira:

  • “O desejo floresce, a posse murcha todas as coisas.”

  • “Não é a ausência, para quem ama, a mais certa, a mais eficaz, a mais viva, a mais indestrutível, a mais fiel das presenças?”

  • “A adolescência é o único momento em que aprendemos alguma coisa.”

  • “O amor é o espaço e o tempo tornados sensíveis ao coração.”

  • “O universo é verdadeiro para todos nós e diferente para cada um.”

Crédito de imagem

[1] spatuletail / Shutterstock

Mais procurados

Coco, côco ou cocô?

Coco”, “côco” e “cocô” são palavras que causam bastante dúvida na escrita. Estão corretas apenas “coco” e “cocô”.

Liev Tolstói

Ele é um dos principais nomes do realismo em seu país e escreveu livros famosos, como os romances Guerra e paz e Anna Karenina.

Ultrarromantismo

O Ultrarromantismo é um movimento literário que corresponde à segunda fase romântica das literaturas portuguesa e brasileira.

Vim ou vir?

Tanto a forma “vim” quanto a forma “vir” estão corretas, mas cada uma delas é usada em situações específicas.

Memórias póstumas de Brás Cubas

Memórias póstumas de Brás Cubas é o primeiro romance realista de Machado de Assis

Mais procurados background