Escolas literárias

Texto:

Fases do Romantismo


O Romantismo possui três fases: indianismo, ultrarromantismo e geração social. Cada uma dessas fases tem suas características próprias e autores de destaque.



O Romantismo é um movimento estético e cultural que predominou no Ocidente durante o final do século XVIII e início do século XIX. No Brasil, a escola romântica teve como principais autores, entre outros, José de Alencar, Gonçalves Dias, Álvares de Azevedo  e Castro Alves.

Resumo do Romantismo

  • Em 1774, o escritor Goethe lança o livro Sofrimentos do jovem Werther, obra que funda o Romantismo na literatura;
  • Em 1836, publica-se Suspiros Poéticos e Saudades, livro de Gonçalves de Magalhães que inaugura o Romantismo no Brasil;
  • Na primeira geração romântica, tem-se José de Alencar e Gonçalves Dias como maiores expoentes;
  • Álvares de Azevedo é o principal autor do Ultrarromantismo brasileiro;
  • Com uma obra com forte tom abolicionista, Castro Alves é o grande nome da terceira geração do Romantismo brasileiro.

Leia mais: Conheça a escola literária que antecedeu o Romantismo no Brasil

Fases

O Romantismo brasileiro na literatura é um movimento complexo e não é possível construir uma teoria única que dê conta de todos os detalhes que envolvem a obra de cada autor. Por isso, é possível dividir tal estética em três fases ou gerações, cada qual com seus escritores e características predominantes.

• Primeira geração romântica

A primeira geração romântica é intitulada “indianista”. Isso porque nela se elege a figura do índio como herói do mito de formação da sociedade brasileira. De fato, uma das principais bandeiras dessa fase é o forte tom nacionalista, que procura refundar a identidade cultural brasileira.

Essa refundação, é bom lembrar, tem total relação com o contexto histórico da época, marcado pela chegada da família real ao Brasil, em 1808, e pela independência do país, em 1822. Os principais autores dessa geração são, na prosa, José de Alencar; na poesia, Gonçalves Dias.

⇒ Principais características:

  • A figura do índio é construída como a de um herói nacional;
  • Apresenta forte nacionalismo;
  • Valoriza a natureza brasileira;
  • Sofre influência da chegada da família real ao Brasil (1808);
  • Possui diálogos com o processo de Independência do Brasil (1822).

• Principais autorese obras

Os principais autores da geração indianista e seus respectivos livros que dialogam com as bandeiras dessa fase do Romantismo são:


♦ Gonçalves Dias

  • Primeiros Cantos (1846)
  • Segundos Cantos (1848)
  • Últimos Cantos (1851)
  • Os Timbiras (1857)


♦ José de Alencar

  • O Guarani (1857)
  • Iracema (1865)
  • Ubirajara (1874)

• Segunda geração romântica

A segunda geração romântica é marcada por um intenso sentimentalismo e uma perspectiva bastante egocêntrica acerca da vida. Em outras palavras, nas obras dessa fase, encontra-se uma exagerada valorização das experiências pessoais – até mesmo algumas consideradas imorais ou grotescas –, e a idealização de sentimentos, como o amor e a tristeza, está muito presente.

Por essa razão, é comum chamar tal geração de ultrarromântica. Álvares de Azevedo é o principal autor do grupo, que conta também com nomes como o de Casimiro de Abreu. Por ser possível perceber referências claras ao estilo de Lord Byron, escritor romântico inglês, a segunda geração romântica também é chamada de byroniana.

⇒ Principais características

  • Presença de intenso sentimentalismo;
  • Predominância do egocentrismo;
  • Tematização do amor, da tristeza e, em alguns casos, do grotesco;
  • Influência do escritor inglês Lord Byron.

• Principais autores e obras

Os principais autores da segunda geração romântica e suas respectivas obras são:

♦ Álvares de Azevedo

  • Macário (1852)
  • Lira dos vinte anos (1853)
  • Noite na taverna (1855)


♦ Casimiro de Abreu

  • As primaveras (1859)

• Terceira geração romântica

A terceira geração romântica é conhecida como aquela que aborda temas de cunho social. Nesse sentido, a obra de Castro Alves é considerada o principal expoente dessa vertente, pois, em seus poemas, o autor denuncia a escravidão praticada no Brasil e constrói um forte discurso abolicionista.

Para além disso, é interessante lembrar que a idealização amorosa – ou seja, a presença de um sentimentalismo irrealizável – diminui significativamente nessa geração, que passa a representar o amor enquanto sentimento real, possível e, em muitos casos, já realizado. Outros nomes da fase são geração “condoreira”, “social”, ou “hugoana” (em virtude da influência do escritor francês Victor Hugo).

Acesse também: Conheça a escola literária que negava os preceitos românticos

⇒ Principais características

  • Presença de forte tom de denúncia social, principalmente, acerca da escravidão;
  • Afastamento da idealização amorosa praticada pelas outras gerações.

⇒ Principais autores e obras

O principal autor dessa fase e suas principais obras foram, respectivamente:

♦ Castro Alves

  •  Espumas Flutuantes (1870)
  • Os Escravos (1883)

Aproveite para conferir a nossa videoaula relacionada ao assunto:


Gonçalves Dias, Manuel de Araújo Porto-Alegre e Gonçalves de Magalhães, renomados escritores do século XIX.
Gonçalves Dias, Manuel de Araújo Porto-Alegre e Gonçalves de Magalhães, renomados escritores do século XIX.
Por: Fernando Marinho